Igreja no Mundo

Michaella Osborn e Conor Hannah são dois de nossos jovens BSD que se comprometeram a servir a Jesus Cristo. Eles estão se sacrificando por causa do glorioso Evangelho, seguindo seus corações ao desempenhar seu papel para cumprir a Grande Comissão.

O irmão Danny Lee e sua esposa, Danita, dos Estados Unidos, estão atualmente em uma viagem missionária. Aqui estão algumas atualizações que ele postou em sua página no Facebook:

O pastor Matthew Olson e sua esposa Ellen viajaram para a Zâmbia em fevereiro, onde visitaram igrejas em Ndola, Kitwe, Lufwanyama e Solwezi. Eles participaram de um serviço de ordenação e do reconhecimento/comissionamento de alunos do TIME. Eles forneceram treinamento de liderança para as esposas dos pastores e mulheres nas igrejas locais e revisaram projetos de habilidades e agricultura sustentáveis.

Uma equipe de missões formada por três jovens adultos foi confirmada para viajar ao Equador, de 18 a 28 de julho de 2019. Eles são Nathan Crowder (Maranatha Community SDB, CA), Victoria Richards (Blue Mountain, SDB, Jamaica) e Gabrielle Osborn (Boulder SDB, CO). Eles estarão ministrando em Caspigasi, uma comunidade empobrecida fora da cidade de Quito, Equador. Alguns dos principais problemas nesta área são pobreza, alcoolismo e abuso infantil. Os BSDs no Equador estão na área de Caspigasi há cerca de doze (12) anos, confortando, ensinando histórias bíblicas e alimentando crianças. Nossa equipe de missões trabalhará com essas crianças, concentrando-se em evangelismo e discipulado cristão. A área onde atenderão às necessidades das crianças é considerada um lugar seguro onde as crianças buscam amor e bondade.

Daniel Lubuto, líder da Conferência BSD de Uganda, escreveu que as crianças voltaram às escolas. Graças à sua ajuda, muitas necessidades foram atendidas, incluindo livros agora e, inicialmente, atenção médica, comida, mosquiteiros e abrigos temporários. Eles têm colocado os órfãos nos lares adotivos dos BSD e ajudado como podem com apoio e supervisão das crianças. Infelizmente, em uma comunidade que já estava lidando com muitos órfãos, a inundação elevou o número que eles estão tentando abrigar para mais de 60 com menos de 10 anos. Muitos não identificam parentes próximos, então a congregação está considerando a Igreja como o parente mais próximo. Atualmente eles estão divididos entre 9 lares temporários, com 5 na própria casa de Daniel. Eles vêem esses jovens como sua futura comunidade e muitos são crentes professos que serão o futuro da Igreja.

Embora confrontados com a ameaça de fechamento de 34 dos seus 35 edifícios da igreja, nossos irmãos e irmãs em Ruanda impulsionam seus esforços para compartilhar o evangelho e fazer discípulos. Em um relatório recente, sua liderança compartilhou que eles ficaram chocados com o fechamento pelo governo de suas instalações de culto, mas eles continuaram a tornar Jesus conhecido. Como resultado, eles tiveram 33 batismos neste verão entre suas congregações e anteciparam alguns mais em breve.

Não temos instalações para resgatar todos os órfãos devido a doenças, desastres, contratempos e distúrbios civis, mas podemos ajudar a resgatar alguns.  A Sociedade Missionária continua sua parceria com conferências ao redor do mundo para ministrar àqueles que não têm para onde ir. Mais recentemente, a liderança BSD de Burundi conseguiu localizar uma família para acolher um grupo de irmãos que perderam a mãe viúva devido a um acidente. Ela era vizinha de seu secretário geral e membro da congregação BSD de Bujumbura. A Sociedade se comprometeu com um ano de apoio para ajudar essas crianças a se instalarem em sua nova casa. Suas doações continuam ajudando a tornar histórias de resgate como essas possíveis para nossos irmãos e irmãs em outros países.

Após o sucesso com o programa TIME na Zâmbia (Treinamento Ministerial por Extensão), a Sociedade Missionária tem estado em parceria com a Conferência Batista do Sétimo Dia Brasileira para trazer uma série similar de seminários de treinamento para a liderança BSD em Moçambique. Os brasileiros são a escolha natural para liderar este projeto e fornecer os treinadores porque a língua oficial de Moçambique é o português como no Brasil. É muito emocionante vê-los novamente assumindo um papel de liderança no trabalho do ministério da missão internacional.